Contentamento

Quando nos colocamos diante de um desafio, seja ele qual for, do tamanho que vier, não podemos voltar atrás. Insistir ou aceitar a derrota, essas são as únicas opções.

Parece fácil (afinal, não temos mesmo escolha quando chegamos nesse ponto), mas muitas vezes o melhor era não ter dado o primeiro passo. Se tivéssemos a certeza da vitória seria diferente; se conseguíssemos aprender com as desilusões também.

Mas o que vai acontecer, quase sempre, é algo diverso: o sucesso trará confiança e vontade de arriscar mais, tentar mais. E a derrota, essa é um sofrimento constante, insistente. 

Os estóicos diziam que devemos nos contentar com o presente e não desejar nada além dele. Amando o presente estaremos sempre no lucro, encarando o momento atual como o mais importante; o único que existe, na verdade.  É uma sabedoria que é também um tipo de loucura. Afinal, contraria o que nós somos, o que não podemos deixar de ser. Mas a pergunta que fica é essa: existe outro jeito de vivermos em paz?

 Fotografia de  Achraf Baznani

Fotografia de Achraf Baznani