Desistir

Estamos inseridos em uma cultura do sucesso, em que o sonho da vitória é vendido como se a realização fosse para todos, só basta querer. Todo mundo sabe que não é assim, que o sucesso é relativo e que a medida pra isso tem que ser estabelecida por cada um. O que é ter sucesso? Ser reconhecido, ter dinheiro, se sentir competente? Muitas possibilidades, muita chance da gente errar mão e acabar se sentindo em um vazio mesmo tendo alcançado os objetivos que tínhamos em mente.

Talvez tendo esse tipo de questão em mente, Cioran escreveu algo bonito sobre o sentido da existência espiritual:

(...) não é quando as coisas nos abandonam, mas quando nós as abandonamos que atingimos a nudez interior, esse extremo em que já não pertencemos mais nem ao mundo nem a nós mesmos, extremo no qual vitória significa demitir-se, renunciar com serenidade, sem remorsos e, sobretudo, sem melancolia
— CIORAN. História e Utopia, p.86

É quando desistimos que nos humanizamos, e perdemos a pretensão que às vezes temos de sermos mais do que podemos ser. Se perder, como possibilidade de aprimoramento pessoal, aqui está uma verdade indiscutível.

Animação de Yoon Miwon

Animação de Yoon Miwon