Livros, corpos e memória

Ontem tivemos no Campus Brasília do IFB um ambiente extremamente rico em interações, diálogos e vivências. O 2º Bibliocultura, que tinha como tema "Inclusão social e cidadania", trouxe para o Campus Brasília uma dinamicidade que considero muito importante para qualquer ambiente acadêmico: diversidade, pluralidade, variedade de discursos. 

É triste quando todo o trabalho de educação se resume à sala de aula. E, se isso às vezes acontece, é também por comodismo e falta de ímpeto nosso. Por isso acho importante parabenizar a todas as pessoas que participaram do evento, os organizadores, colaboradores, palestrantes, docentes que levaram suas turmas, estudantes que se entregaram às discussões ou contribuíram diretamente com a criação e execução do evento.

Particularmente fiquei muito feliz por poder ver os estudantes do Ensino Médio durante todo o Bibliocultura: à maneira deles sentindo orgulho de participar de algo maior, se envolvendo com os debates, se emocionando com o que tinha pra se ver e compartilhar.

Acima de tudo, é simbólico e especial que esse seja um evento da biblioteca do Campus Brasília e aqui parabenizo especialmente a todos os funcionários da nossa biblioteca, que cuidam desse setor tão essencial não só para uma instituição de ensino, mas para a comunidade como um todo.

Jorge Luis Borges, o magnífico autor de O Aleph e outros dos meus livros favoritos, disse certa vez que os objetos que utilizamos são extensão do nosso corpo. Os óculos são uma extensão dos nossos olhos, a caneta das nossas mãos etc. Mas o livro não. O livro não é uma extensão do nosso corpo, mas sim da memória. Pelos livros, pela leitura, nos conectamos com o espírito humano, com a memória compartilhada de nossos ancestrais, com o sentimento de comunidade que sobrevive em cada um de nós.

No 2º Bibliocultura percebi um pouco dessa memória humana coletiva em todos que se doaram e se entregaram à tarefa de compartilhar conhecimentos, vivências e sentimentos. Sim, foi muito bom. E precisamos de mais eventos assim.