#PodcastFriday

Ontem, dia 16/09/2016, o Jurandir Filho, dos podcasts Cinema com Rapadura e 99 Vidas, apresentou uma proposta de utilização da sexta-feira como um dia para se divulgar/indicar podcasts:

Como quem gosta de podcast geralmente segue outras pessoas que também costumam falar sobre o assunto, acabei vendo no Twitter, logo cedo, as pessoas utilizando a hashtag #podcastfriday com as recomendações de outros programas e promoção dos próprios (no caso de quem não só ouve, mas também faz podcasts).

Um podcast é algo relativamente simples de se acessar; e, sendo gratuito, era de se esperar que mais pessoas aderissem à mídia. No entanto, apesar da simplicidade que mencionei, é ainda difícil pra muita gente explicar como esses produtos são distribuídos e como podem ser acessados. Isso se deve ao fato de que não temos um Youtube para os podcasts, mas também ocorre, eu acredito, por conta da impressão de que existe pouca diversidade temática nos podcasts, o que afasta as pessoas que não estejam interessadas em saber sobre cultura pop por meio dos podcasts.

Nos Estados Unidos o podcast já é uma mídia com muito espaço. E isso é assim, em grande parte, porque alguns dos grandes fenômenos de público de lá tratam de temas bem diversos (tome os podcasts Serial, Radiolab e WTF With Marc Maron, todos com grande audiência, como exemplos). No Brasil, no entanto, a maior parte dos criadores se dedicam a um mesmo tipo de produção: uma roda de conversa sobre entretenimento (cinema, quadrinhos, séries, games etc). Existem, obviamente, iniciativas diferentes: Projeto Humanos, Mamilos, Café Brasil e muitos outros. O que estou dizendo, portanto, não é que falta diversidade nos temas e propostas de podcast no Brasil, mas sim que a maioria dos podcasts são monotemáticos. Alie a isso o fato de que alguns dos podcasts com mais público do Brasil (Nerdcast, MRG, Melhores do Mundo etc) tratam quase que exclusivamente de entretenimento; e são justamente esses que acabam sendo lembrados quando alguém vem com aquela pergunta bacana: Me indica um podcast?

Não é errado, obviamente, fazer ou ouvir podcasts sobre entretenimento. Cada um faz e consome o que quer. E pra quem gosta muito de um assunto, quanto mais melhor. No entanto, pra mídia como um todo é extremamente negativo que no espaço de um mês, por exemplo, saiam 100 episódios sobre Stranger Things ou Esquadrão Suicida. A não ser que as abordagens sejam realmente diferentes, a saturação do tema do momento afasta pessoas interessadas em outros assuntos e olhares. E é por isso que eu penso que uma iniciativa como a #podcastfriday pode ser uma grande virada.

O Ivan Mizanzuk (do Anticast e Projeto Humanos) sugeriu, em um post, que um mapeamento desse #podcastfriday poderia auxiliar as pessoas a encontrarem correlações entre os ouvintes e temas:

O Murilo Ferraz do Filosofia Pop me marcou na postagem e eu comprei o desafio. Então, o que fiz foi o seguinte: extraí os dados de ontem do Twitter para chegar em algo próximo dessa correlação de quem gosta do quê. Consegui, com o Netlytic, extrair 1317 tweets com a hashtag #podcastfriday, todos postados até a meia noite do dia 16/09. Os gráficos que eu mostro mais abaixo foram gerados com o Beam e os grafos foram feitos com o Gephi. Seguem os dados:

 Grafo com a rede de tweets sobre a #podcastfriday.

Grafo com a rede de tweets sobre a #podcastfriday.

A imagem acima representa um grafo da conversação no Twitter sem os termos (hashtags e usuários). Um grafo é composto por nós (os pontos de conexão) e arestas (as conexões entre os nós). Nessa representação eu escolhi separar as áreas de interesse por cores. Assim, podemos ver um grupo azul, verde, laranja etc. Esses são os grupos que conversaram entre si e/ou indicaram os mesmos podcasts. A imagem final que conseguir gerar é gigantesca (10000 por 10000 pixels). Se você quiser, pode baixar a imagem original em .pgn ou .pdf para ampliar e verificar os dados com mais detalhes. A vantagem caso do pdf é poder fazer busca por termos, mas pra isso você precisa dar um zoom monstruoso (pelo menos 800%).

Mais pra frente eu vou voltar pra essa imagem dando um zoom em algumas áreas, mas antes veja alguns outros dados interessantes:

podcastfriday2.png
podcastfriday3.png

Você pode baixar aqui o arquivo do Excel (.csv) com todos os tweets extraídos, caso tenha interesse.

Grafo com as redes conectadas com menções aos podcasts e usuários:

 Grafo com a rede de tweets com termos utilizados.

Grafo com a rede de tweets com termos utilizados.

Na imagem acima as cores representam os grupos, ou seja, pessoas que demonstraram interesse mútuo nos mesmos podcasts e/ou perfis. Dando zoom em alguns focos da imagem é possível ver essas conexões de maneira mais clara:

Como disse antes, o que acho bacana na iniciativa do Jurandir é que essa ação, se se tornar contínua, conseguirá atrair mais pessoas para a mídia por meio da ampliação das redes de indicações que serão criadas. Vi muita gente descobrindo e indicando coisas novas, o que certamente ampliará a diversidade e longevidade do podcast.

Os fenômenos de massa sempre vão existir, em qualquer mídia que seja; mas o reconhecimento da variedade de temas dos podcasts (e, acredite, tem podcast sobre muita coisa que você nem imagina) vai aproximar mais pessoas da mídia e estimular quem tem ideias diferentes pra colocar em prática. O difícil é imaginar que a empolgação nas próximas sextas continuará a mesma. Será?