Aula 3 - O que é o contemporâneo

Essa é uma aula para os estudantes que estão cursando a disciplina Introdução à Estética e História da Arte, no primeiro semestre de 2017.

Esta aula é uma discussão sobre a contemporaneidade a partir do texto O que é o contemporâneo?, de Giorgio Agamben. Antes de continuar peço que você leia o texto (pelo menos da página 55 à 64).

Você vai perceber - eu imagino - que o conceito de contemporaneidade ainda continua confuso, apesar de aparentemente ser algo óbvio (somos contemporâneos de nós mesmo, não é isso?). Para te confundir mais um pouco peço que você explore a seção de artistas/pensadores contemporâneos do site UBU Web. Acesse o site e clique nos links dos artistas para conhecer as suas produções.

Ficou ainda mais confusa/o? Então, escute esse episódio (ou leia a transcrição) do meu podcast em que falo sobre arte na contemporaneidade:

Por fim, leia esse texto em que falo sobre o artista Robert Rauschenberg.

Agora, diante de tudo isso, deixe um comentário abaixo, respondendo à seguinte pergunta: O que caracteriza a arte na contemporaneidade?

Os comentários serão aceitos até o dia 03/06/2017.

Aula 2 - Modernidade e Vanguarda

Essa é uma aula para os estudantes que estão cursando a disciplina Introdução à Estética e História da Arte, no primeiro semestre de 2017.

Olá, o tema dessa aula é Modernidade e Vanguarda, a partir do texto de Marc Jimenez. Nesse texto, o autor apresenta um panorama da arte na modernidade e em sua transição para as vanguardas e para a arte contemporânea. É importante que você leia o texto antes de continuar.

Agora escute os episódios a seguir dos meus podcasts (ou leia a transcrição dos áudios) em que falo sobre a arte a partir de dois grandes artistas que representam parte dessa transição (modernidade/vanguardas/arte contemporânea):

Agora, a partir de sua leitura do texto de Marc Jimenez e do que você ouviu nos podcasts (ou leu na transcrição dos mesmos), deixe suas impressões sobre o legado da modernidade e das vanguardas para a contemporaneidade. A libertação da arte e dos artistas dos padrões estéticos trouxe mais vantagens ou problemas para a apreciação artística?

Os comentários serão aceitos até o dia 27/05/2017.

Aula 1 - A obra aberta

Essa é uma aula para os estudantes que estão cursando a disciplina Introdução à Estética e História da Arte, no primeiro semestre de 2017.

Olá, o tema dessa aula é o texto Obra Aberta, de Umberto Eco. Neste livro, o autor discute a ideia de que uma obra de arte permite inúmeras interpretações, dando ao seu público a possibilidade de reconhecer e criar sentidos. Antes de avançarmos, leia um trecho da obra (sugiro as páginas 67 e 68) ou faça uma pesquisa sobre o livro na internet.

Já? Muito bem. Então, para aprofundarmos essa discussão da multiplicidade de interpretações de uma obra de arte, assista aos dois clipes a seguir (Lotus Flower, Radiohead e Ingenue, Atoms for Peace):

Nesses vídeos, Thom Yorke (cantor e compositor da banda inglesa Radiohead), aparece dançando. Thom Yorke não é um dançarino - e isso fica evidente, principalmente no segundo vídeo -, mas ele foi coreografado pelo inglês Wayne Mcgregor, que utiliza um método bem peculiar de construção da coreografia. De acordo com essa técnica, o coreógrafo parte de estruturas mais ou menos rígidas; mas seu objetivo não é, necessariamente, comunicar algo específico para o público. Veja ele explicando o seu método, no vídeo abaixo:

A partir de sua compreensão da ideia de obra aberta (ou seja, a obra de arte que não condiciona uma única forma de percepção ou interpretação) e do que você viu nos vídeos (especialmente no último), deixe um comentário abaixo falando da relação entre a dança e as vantagens ou desvantagens de criar um trabalho artístico aberto, livre para a diversidade de olhares.

Os comentários serão aceitos até o dia 20/05/2017.

Estética #03 - Estética no Romantismo

As reflexões propostas no contexto do Romantismo ainda são incrivelmente atuais, principalmente em relação à crítica ao cientificismo e ao predomínio da técnica. Aqui, apresento essa discussão no contexto da estética.

The walker above the mists, Caspar David Friedrich

The walker above the mists, Caspar David Friedrich